Charles Bukowski

Muitas vezes, diante dos seres humanos bons e maus igualmente, meus sentidos simplesmente se desligam, se cansam, eu desisto. Sou educada. Balanço a cabeça. Finjo entender, porque não quero magoar ninguém. (…) Deixa pra lá. Meu cérebro se tranca. Eu escuto. Eu respondo. E eles são broncos demais para perceber que não estou mais ali. Quando ando no meio de outras pessoas, não me sinto bem. O que elas falam e o entusiasmo que demonstram nada têm a ver comigo. O mais curioso é que justamente quando estou na companhia delas que me sinto mais forte. Me vem a idéia seguinte: se podem existir só com esses fragmentos de coisas, então eu também posso. Mas é quando estou sozinha e todas as comparações se reduzem a mim mesma contra as paredes, contra a minha própria respiração, contra a história, contra o meu fim, que começam a ocorrer coisas estranhas. Sou evidentemente fraca. 

Anúncios
Posted in Sem categoria

Marcela Polis

As pessoas que passam pela minha vida deixam marcas, porque são sobre elas que eu escrevo, escrevo sobre seus jeitos, sobre seus gostos e desgostos. Escrever apenas sobre a sua própria vida enjoa, e eu acho tão bonito você se importar com as histórias que não são só suas. A vida não gira só em torno de mim, e o mundo lá fora não é só meu. Talvez se você soubesse mais dos outros, descobriria muito mais sobre você, se você soubesse da dor dos outros, já não sentiria mais a sua …
(..) Ah, a vida é como um remédio, e as pessoas? são todas as bulas, se você souber ler, se você souber entender tudo bem, caso contrário, você vai se perguntar: Para que que serve? e se não houver efeito? ou fazer efeito demais?. Você vai querer entender ou não? vai querer ler a bula do remédio ou não? É como a vida, você vai querer entender as pessoas para entender mais a si mesmo ou não? cabe a você o querer e não-querer. O poder está na sua mão, eu só não fico por aí perdendo meu tempo, a vida lá fora me chama, e pra mim é sempre um desafio, que eu não tenho mais vontade de parar.

Posted in Sem categoria

Jean-Paul Sartre, in A náusea

"Produziu-se pois uma mudança durante estas últimas semanas. Mas onde? uma mudança que não se fixa em sítio nenhum. Fui eu que mudei? Se não fui, então foi este quarto, esta cidade, esta natureza; é preciso escolher.
Acho que fui eu que mudei: é a solução mais simples. E mais desagradável também. Mas, enfim, tenho de reconhecer que sou sujeito a estas transformações súbitas. Sucede que só muito raras vezes penso; assim uma infinidade de pequenas metamorfoses vai-se acumulando em mim sem eu dar por isso. e depois, um belo dia, produz-se uma verdadeira revolução. Foi o que deu à minha vida estes solavancos, este aspecto incoerente.(…)"

Lou Andreas Salomé

" Ouse, ouse… ouse tudo! não tenha necessidade de nada! não tente adequar sua vida a modelos, nem queira você mesmo ser um modelo para ninguém. acredite: a vida lhe dará poucos presentes. se você quer uma vida, aprenda … a rouba-la! ouse, ouse tudo! seja na vida o que você é, aconteça o que acontecer. não defenda nenhum princípio, mas algo de bem mais maravilhoso: algo que está em nós e que queima como o fogo da vida! "

Erllen Nadine

Fazem meses que não te vejo, ‘que não falo com você’.
Não sei se você está bem, se está estudando, se está gostando
de outro alguém ou se às vezes ainda sonha comigo. Nada mais sei
sobre você, além do que sobrou. Recentemente vi umas fotos suas, o
corte de cabelo ainda era o mesmo, o físico, o estilo de roupas. Mas tinha
…algo diferente, eu sei que tinha, porém, como eu poderia explicar? Era algo
no seu olhar castanho escuro, como se faltasse algo por dentro de você. Era
o formato dos traços do seu sorriso, como se tivesse perdido um pedaço de você…
Então lembrei, talvez o que faltava, era o pedaço de você que eu levei comigo, e não
consegui te devolver.

Verônica H

" Estou ficando morna de tanto não me permitir ir além, de tanto calcular meus passos, me esconder em falsa timidez, evitar sentimentos, evitar relacionamentos, evitar gente só por ser gente e pela possibilidade de alguma coisa dar errado. Posso correr o risco de dar certo? Estou prestes a mergulhar. Dessa vez, não insistam, vou dispensar o equipamento de segurança. "

“E nesta madrugada…

…eu desejo, do fundo do meu coração, que você se livre de tudo o que te preocupa, de tudo o que queima o seu coração, de tudo o que consome seus segundos –que poderiam ser de felicidade- com tristeza. Eu, Tati Ribeiro, desejo que você se ame mais, pense em você, pense no que é bom para o seu futuro e se livre de tudo o que te faz mal. Amém.”

Escrevi esse ‘texto’ devido a minha preocupação com dezenas de pessoas que comentam aqui, e escrevem para mim, que estão passando por momentos difíceis. Quero dizer que torço muito pela sua felicidade, independente do lugar que você esteja, se você me conhece ou não. Se você está aqui, é porque encontrou algum texto no qual se identificou com o seu momento atual, triste ou feliz.

Gostaria de dizer à vocês que este blog tem o meu nome, mas dirijo os temas dos textos pensando nas pessoas que aqui passarão. 80% dos leitores que vêm falar comigo estão passando por momentos complicados que exigem leituras delicadas. Eu tento postar textos que consigam traduzir os milhões de sentimentos que milhões de leitores estão tendo agora, por isso fico feliz quando algum deles vem me parabenizar e dizer: “Obrigado por ter me ajudado!”, e sinto que o meu trabalho está completo. 🙂

Pretendo escrever mais aqui e ajudar vocês. Quem quiser, já sabe: entre em contato comigo que eu responderei com o maior prazer, ok? Tentarei ajudar no que for possível. Não se sintam envergonhados.

É isso, boa noite à todos! 😀

Tati Ribeiro