Homenagem ao Chico Anysio

“Se estivesse desencantado da vida, acordar seria um tormento. Sou apaixonado pela vida e agradecido pelo que me foi dado.”

“Claro que eu tenho depressão. Tive seis mulheres, nove filhos e dez netos. Se eu não tivesse depressão, teriam de me internar, porque eu seria um psicopata.”

“Tenham paciência: o futuro é hoje”

Anúncios

Maíra Cintra

"Não, eu não tenho medo de mudar, muito menos do que vão pensar quando eu tomar uma atitude inesperada. Peço para que não esperem nada de mim, eu faço as coisas no susto, no improviso. Sou feliz por fora e tão transparente que não sei esconder o que se passa por dentro."

Lícia Manzo/Marcos Bernstein

Lourenço:
“Ninguém entra num mesmo rio uma segunda vez. Pois quando isso acontece já não se é o mesmo, assim como as águas que já serão outras. Foi um filósofo grego que viveu no século V AC (século quinto Antes de Cristo), Heráclito de Éfeso, quem fez essa formulação que até hoje nos fascina: ‘o fluxo eterno das coisas, é a própria essência do mundo’, apontou Heráclito.
E se ainda hoje ficamos espantados com isso é porque nos apegamos teimosamente ao que já passou, esperando no fundo que tudo permaneça igual.
Então, é necessário um filósofo da antiguidade ou um escritor contemporâneo pra nos fazer entender que nada é permanente, a não ser a mudança.
Olha só, eu separei aqui um trecho do ‘Grande Sertão’ onde o Guimarães Rosa, fala um pouco sobre isso, olha só que beleza:
“O mais importante e bonito do mundo é isto, que as pessoas não são sempre iguais, ainda não foram terminadas, mas que elas vão sempre mudando, afinam ou desafinam, verdade maior. É o que a vida me ensinou…”
Não é incrível?
O filósofo flagra a fluidez e o escritor se maravilha com isso.
“É o mais bonito da vida”, diz Guimarães Rosa.
É uma celebração do movimento, não é um lamento. O tempo não pára. E isso é belo. Então, semana que vem, nós nos encontraremos aqui, e eu serei outro, e vocês também.”
(Personagem de Leonardo Medeiros, Lourenço, novela "A vida da Gente" – Autores: Lícia Manzo/Marcos Bernstein)

Ana Paula Sampaio

Tudo passa. Dor de dente passa. Enxaqueca passa. Torcicolo, braço quebrado, pedras nos rins passam. Até dor de cotovelo. Um dia passa.
Sofrimento passa. Dúvida passa. Dor, aperto no peito, vontade de pular da ponte. Medo, incerteza, melancolia, raiva. Tudo passa.
Solidão? Eu não sei se passa. Solidão pode ser tanta coisa. Dizem até – e acho que foi Fernando Sabino que disse – que solidão é quando estamos infelizes; quando estamos bem, não é solidão, é sossego, mesmo.
Saudade passa? Saudade é o tempo perdido. Tempo espremido entre dedos. Tempo espremido entre vontades: a de ir e a de ficar. Quanto se mais espreme, mais ele vira passado. Enquanto houver um coração, ainda que pleno, haverá saudade. Saudade não passa.
O amor? O amor se transforma. Muda com a suavidade de uma colherada de açucar que caindo na água, se transmuta, transformando aquilo que tocou. O Amor é generoso. Dá mais do que recebe e há sempre mais a dar. Amor de verdade não passa.
Das coisas que passam, o que mais passa é o Tempo. Não só passa como também leva algo consigo. Um tanto de viço da pele, de firmeza dos músculos, de bastos cabelos. Outro tanto de inocência, de capacidade de entrega, de crença de que o bem sempre vence.
Mas se o Amor é generoso, o Tempo consegue ser mais ainda. Deixa sempre algo no lugar do que levou. O Tempo traz paciência e força para que a gente aguente até que tudo mais faça como ele próprio: passe.
Se estou entregue ao Tempo, estou em boa companhia. Afinal, até a gente mesmo um dia vai passar.

Feliz dia das mulheres!!!

Que traz beleza e luz aos dias mais difíceis
Que divide sua alma em duas, para carregar tamanha sensibilidade e força
Que ganha o mundo com sua coragem. Que traz paixão no olhar
Mulher, Que luta pelos seus ideais. Que dá a vida pela sua família, Mulher
Que ama incondicionalmente. Que se arruma, se perfuma Que vence o cansaço
Mulher, que chora e que ri, Mulher que sonha…
Tantas Mulheres, belezas únicas, vivas, cheias de mistérios e encanto! Mulheres que deveriam ser lembradas, amadas, admiradas todos os dias…Porque somos um estrela abençoada, Estrela chamada Mulher.

Importante.

Queridos leitores, estou aqui para dizer que as postagens ficarão um pouco escassas porque  começaram as minhas aulas e elas vão até as 17h da tarde. Por isso chego muito tarde em casa e cansada, não tendo tempo de selecionar textos pra postar aqui.

Porém, prometo que tentarei ao máximo atualizar o blog, espero que entendam. Aproveitem para ver os antigos posts.

Deixo aqui meu beijo e um MUITO OBRIGADA pelas visitas, estou muito feliz por disseminar a cultura e a leitura.

Boa noite. Tatiane Ribeiro

3348371399_98dcca82bb_large

Marilyn Monroe

Algumas vezes na vida, você encontra uma amiga especial. Alguém que muda sua vida simplesmente por estar nela. Alguém que te faz rir até você não poder mais parar. Alguém que faz você acreditar que realmente tem algo bom no mundo. Alguém que te convence que lá tem uma porta destrancada só esperando você abri-la. Isso é uma amizade pra sempre. Quando você está pra baixo e o mundo parece escuro e vazio, sua amiga pra sempre te põe pra cima e faz com que o mundo escuro e vazio fique bem claro. Sua amiga pra sempre te ajuda nas horas difíceis, tristes e confusas. Se você se virar e começar a caminhar, sua amiga pra sempre te segue. Se você perder seu caminho, ela te guia e te põe no caminho certo. Sua amiga pra sempre segura sua mão e diz que vai ficar tudo bem. Sua amiga é pra sempre, e pra sempre não tem fim.

Fernanda Melo

‘Sigo a vida conforme o roteiro, sou quase normal por fora, pra ninguém desconfiar. Mas por dentro eu deliro e questiono. Não quero uma vida pequena, um amor pequeno, um alegria que caiba dentro da bolsa. Eu quero mais que isso. Quero o que não vejo. Quero o que não entendo. Quero muito e quero sem fim. Não cresci pra viver mais ou menos, nasci com dois pares de asas, vou aonde eu me levar. Por isso, não me venha com superfícies, nada raso me satisfaz. Eu quero é o mergulho. Entrar de roupa e tudo no infinito que é a vida. E rezar – se ainda acreditar – pra sair ainda bem melhor do outro lado de lá.’